um beijo para gabriela

Vestindo Daspu em Montreal

[Publicado no dia 17/12 no blog em inglês]

Ao nos aproximarmos do Dia Internacional pelo Fim da Violência Contra Trabalhadores Sexuais -nosso primeiro 17 de dezembro sem Gabriela -, voltamos nossos pensamentos para como ela inspirou ativistas em todo o mundo a lutar pelos direitos dos trabalhadores do sexo. Jenn Clamen, uma ativista que chama de casa tanto a organização de direitos dos trabalhadores do sexo Stella quanto a comunidade dos direitos dos trabalhadores do sexo em Montreal (Canadá), tem produzido reflexões sobre as conexões entre a obra de Gabriela, Davida (organização carioca fundada por Gabriela, em 1992), e o ativismo canadense. Jenn tem participado ativamente no movimento pelos direitos dos profissionais do sexo desde 2001, tanto em nível local, no Canadá, quanto em nível global. Ao pensar sobre como Gabriela influenciou seu trabalho, Jenn escreve: “Eu tive o prazer e o privilégio de ser treinada por alguns dos mais fervorosos e dedicados ativistas profissionais do sexo e continuo a aprender diariamente de membros mais novos e mais velhos deste movimento”.

Um beijo para Gabriela: Como o trabalho de Gabriela esURB_Dasputá conectado ao ativismo do trabalho sexual no Canadá?

Jenn Clamen: Em 2007, tivemos uma grande oportunidade na Stella de conectarmo-nos com a Davida de uma forma criativa e significativa. Urbania – uma revista artsy em Québec – convidou Stella para uma sessão de fotos para destacar tanto o nosso trabalho quanto o trabalho dos nossos colegas no Brasil por meio da linha de roupas Daspu, criada pela Davida em 2005. Membros da equipe de Stella foram enfeitados com cabelo, maquiagem e, claro, as roupas da Daspu. Era uma chance de demonstrar solidariedade com os trabalhadores do sexo no Brasil e em todas as regiões e, simultaneamente, educar o público de Québec sobre restrições de financiamento, realidades dos trabalhadores do sexo e sobre as maneiras criativas com que os trabalhadores arrecadam dinheiro para manter vivas as organizações. A sessão de fotos foi um exercício de empoderamento em muitos aspectos, especialmente porque os trabalhadores do sexo vestidos na linha de moda Daspu foram capazes de ocupar um espaço tão mainstream.

Um beijo: Você tem lembranças sobre o encontro com Gabriela e sobre a descoberta do trabalho dela?

Jenn : Conheci Gabriela pessoalmente na Conferência Internacional de Aids , em Toronto , em 2006, e tive o privilégio de trabalhar mais de perto com ela no primeiro quadro oficial da NSWP quando foi incorporada em 2008. Gabriela , para mim, era maior do que a vida. Um pequeno pacote com tanta força, poder e elegância. Ela era carinhosamente conhecida por ser incisiva e colocar “a boca no trombone”. Assim, eu estou relacionada a isso um pouco. Eu sei que não estou sozinha nisso. Gabriela era alguém que eu poderia falar sem palavras, sem linguagem – o que na maioria das vezes era necessário já que eu não falo uma palavra de português. Fiquei realmente surpresa com o quanto de entusiasmo e paixão fomos capazes de compartilhar em cadências e gestos com as mãos, enquanto fumávamos e bebíamos até altas horas da manhã. Gabriela me ensinou a não ter medo das minhas crenças e minhas convicções, mesmo que isso significasse que outras pessoas pudessem ser desafiadas. Fiquei particularmente comovida com a dedicação ao trabalho com o governo brasileiro e o retorno dos fundos da USAID. Eu pensei que era corajoso, para dizer o mínimo. Todos nós reconhecemos que os trabalhadores do sexo em diferentes partes do mundo têm diferentes privilégios, e que alguns estão em posições onde esses fundos são o seu único salva-vidas. Apesar disso, sou grata por pessoas como Gabriela, que foi capaz de estabelecer um padrão e firmar suas convicções.

E em uma nota mais leve, Gabriela inspirou o meu futuro coração de 60 anos a nunca aposentar meus calcanhares e ostentar minha jaqueta de couro com orgulho.

Um beijo: Em que você acha que ela contribuiu e por que o trabalho dela é importante para seguir em frente?

Jenn: O compromisso inabalável de Gabriela com os direitos não poderia ser mais relevante esta semana, quando a Suprema Corte do Canadá pode derrubar leis contra a prostituição. Gabriela inspira as pessoas a manter suas convicções. Todos nós podemos aprender com as formas criativas com que ela e a Davida responderam à falta de financiamento e ao retorno dos fundos da USAID. As decisões difíceis que temos de tomar às vezes como coletivos também podem ter solução criativa e empoderadora. A criação da Daspu foi brilhante em muitos desses níveis. Este tipo de criatividade, resiliência e dedicação são homenagens a sua vida e suas qualidades, que ela inspirou em muitos de nós e que permanecem.

Publicado em by admin Posted in Blog

Adicione um comentário

w