um beijo para gabriela

Lembrando de Gabi

Gabi foto CrossbonesSentimos saudades da Gabriela todos os dias, mas esta semana em particular, porque o dia 10 de outubro marcou um ano desde que ela nos deixou.

 

Há muitas formas de homenagear Gabriela: usando a palavra puta, lutando pelos direitos das prostitutas, comendo mortadela Ceratti, usando perfume Chanel, difundindo seus textos e vídeos, tomando uma cerveja e falando sobre política no boteco, usando uma roupa Daspu e defendendo, sem papas na língua, o direito de ser o que se é.

 

Gabriela fui uma pessoa política em todos seus atos e movimentos – desde o movimento de putas até seus movimentos cotidianos. Ela levava luz, carisma e inteligência a qualquer ambiente que entrasse, e é justamente essa beleza, garra e força que faz uma falta profunda.

 

ouro pretoPara homenagear Gabriela esta semana, o documentário abriu a Mostra Internacional de Cinema de Ouro Preto no dia 09/10, no Cine Vila Rica e foi exibido no dia 10/10 no Instituto de Ciências Sociais Aplicadas em Mariana. Ficamos lisonjeadas de abrir a primeira Mostra compartilhando o carisma, a filosofia e a historia da Gabriela. O festival foi emocionante – foram duas exibições em homenagem a Gabriela, com plateias cheias, emocionadas e inspiradas por sua historia. A noite do dia 10/10 em Mariana foi simplesmente mágica, com uma sala cheia de estudantes empolgados, inteligentes e visivelmente tocados. A participação do documentario foi possível graças ao Coletivo Batalho, um coletivo da Universidade de Ouro Preto que luta para os direitos da comunidade LGBT.

Também estamos compartilhando fotos de outra homenagem, feita faz pouco tempo no Cross Bones Graveyard em Londres. O cemitério tem uma historia incrível – foi um cemitério do século 16, principalmente para prostitutas. Ficava numa área abandonada de Londres que há uns 15 anos foi “redescoberta”, como alvo de projeto de revitalização urbana, isto é, de um empreendimentos imobiliário.

Mas um grupo de artistas, poetas, atores, músicos, liderado por John Constable, lutou, e conseguiu que o cemitério fosse preservado e o transformou num local incrível de resistência e memória. Tem uma grade que as pessoas visitam e onde colocam coisas em homenagem a parentes, amigos, amantes, parceiros falecidos. A grade virou um símbolo de resistência e a luta para o direito das pessoas marginalizadas não só de ter o direito de fazer parte da paisagem urbana, mas também, de ser lembradas e homenageadas.

Crossbones gabi small

Cada dia 23 do mês o grupo faz uma cerimônia em frente da grade com música e falas. No mês de agosto, Laura Murray  e Thaddeus Blanchette, um professor da UFRJ-Macae e colaborador da Davida estavam em Londres e tiveram a sorte de participar no ritual. O grupo organizador abriu um espaço para falarmos e fazermos um minuto de barulho para Gabriela em frente da grade. Colocamos uma camiseta Daspu, e a capa do Beijo da Rua feita em homenagem à ela na grade, e todos gritamos “Viva Gabriela!” Foi lindo!

O capa do Beijo também é especial, porque fui a última capa do Beijo feita pelo artista e jornalista Sylvio de Oliveira. Parceiro de longa data da Davida, ele é a pessoa que criou o nome Daspu e fez várias coleções e camisetas da grife, inclusive a mais querida – “Somos más, podemos ser piores”. Sylvio faleceu o mês passado, então, essa capa também tem um significado muito especial e é uma homenagem tanto a Sylvio como a Gabriela.

O ritual foi lindo, e terminou com todos tomando whisky da mesma garrafa, e fazendo um circulo de whisky entorno do grupo presente. Foi um lugar perfeito para uma homenagem a Gabriela, que tanto lutou para o espaço e direito das putas dentro da sociedade e da cidade.

 

Viva Gabriela!!

crossbones close grade

Publicado em by admin Posted in Blog, Noticias, Uncategorized

Adicione um comentário

w